terça-feira, 24 de novembro de 2009

Yoko e eu




Algumas pessoas nasceram para o anonimato, outras para o escândalo, eu, preferiria o silêncio, porém nasci para o grito.


Uma vez, tentando me justificar, dizendo que também era tímido, reservado e tal, um amigo logo disparou, “Nivaldo, você é irreverente, quem nasce irreverente não tem jeito... “ e eu pensei: “Meu Deus! Eu tenho a maldição da irreverência, da liberdade!”, alguns já me chamaram de hedonista, alguns de doido, outros de impulsivo... eu não faço idéia do que sou! Mas com certeza exercito várias destas facetas, mas melhor morrer de vodka do que de tédio!

Acredito que a expressão verdadeira do seu ser é recompensada com descobertas magníficas sobre você e sobre os outros, em algumas conversas francas conseguimos extrair a verdade das pessoas mais “caretas” da face da terra, todos temos nossas “perversões” e “bizarrices” e adoro me deparar com estas particularidades interessantes, principalmente as minhas! Eu vivo me encontrando! Descubro mais sobre eu mesmo nos limites.

Nunca fui com a cara da Yoko Ono, para mim, ela só era o pivô do fim dos Beatles, mas lendo mais sobre ela fiquei encantado! Criada em uma família rica e aristocrata do Japão, foi a primeira mulher a ingressar na faculdade de filosofia de Gakushuin, mas logo declinou e fugiu para a boemia de Nova York, lá se associou ao famoso grupo fluxus, saia gritando “Quero jogar sangue no palco” , uivando em palcos, filmava bundas, cortava as roupas dos outros com tesouras, seus pais, consternados, a internaram em um hospício no Japão, foi resgatada por um marido (sem ser o Lennon), e disparava frases incríveis como: “Mexa bem seus miolos com um pênis e vá passear!” , amo essas pessoas que vivem no limite de sua arte, de suas vidas. Outros estão na minha lista de pessoas interessantes,entre eles Byron,Tristan Tzara, Henry Miller, Frida Kahlo, Trotsky, Leila Dinis, Luz Del Fuego! Outros desconhecidos, como minha prima Marta, minha Mãe, meu falecido avô, entre outros loucos amigos.

Quando vejo estas histórias, estas pessoas, lembro um pouco de mim, sinto que vim desta mesma matéria inconformada, acho que alguns desses loucos iluminados, se dotados de onisciência divina, pudessem observar minha vida, diriam em meio sorriso (talvez com certo escárnio contido) “esse é dos meus!”.







7 comentários:

Clarissa B. disse...

Louco que eu amooo....

Adorei vc aqui hj.... como adoro todos os outros dias....

Fez parte do meu dia feliz....

Beijos...

Clarissa B. disse...

Ai... só agora me dei conta de que não paguei nada hoje.... aff... q vergonha... devo-te... não nego.... pago quando te encontrar... mas me cobre, senão esqueço...

Ah, ouvindo bubuia....

Há música melhor pra comentar aqui do que essa???

Keyllita disse...

Nivaldo,

faz aaaaanos que nao nos vemos, mas lembro de voce de uma maneira maravilhosamente plena! Vc é um espetáculo com fogos de artifício! Te voy leyendo, vale?

Besitos.

Sentimental ♥ disse...

eu gosto da irreverência de alguns e na certa, pra mim, vc é um mistério...
beijos

Clarissa B. disse...

Ah, li seu comentário desaforadinho... e lembrei de uma coisa... aquele dia não tinha começado acabado.... e nem acabou...

=P

Bicho chato... encrenqueiro....

Flavio Ferrari disse...

De perto ninguém é normal ...

SAL disse...

irrevente ou não... vc é especial!